Mais feriados e festas no Japão

4 de Setembro de 2017

Por: Alexandre Sakai
(Instagram @alesakai)


Matsuri

Imagem: Alexandre Sakai

Antes de me mudar pro Japão eu achava que não existiam tantos feriados por aqui. Como o povo tem fama de trabalhador, pensava que eram poucas as datas em que eles descansavam. Só que chegando no país, vi que não poderia estar mais enganado. Tem mais de uma dezena de feriados oficiais ao longo do ano. Tem até períodos de folga mais prolongados como a Golden Week na primavera. Aliás, como eles adoram celebrar a natureza. Tem dia do Mar, da Montanha, do Verde, do outono, etc…

Este mês rolou o feriado do dia da Montanha, que emendou com o Obon (ou Bon), data que celebra a alma dos antepassados (algo semelhante ao dia dos Finados no Brasil). Ao todo foram uns 5 dias de folga e muita gente aproveitou pra viajar. As imagens das estradas na TV não eram muito diferentes das que estamos acostumados a ver no Brasil em véspera de feriado, com filas quilométricas de carros.


Matsuri

Imagem: Alexandre Sakai

Mas além do trânsito nas estradas, uma coisa que não pode faltar é festa. O Obon, apesar de ser um feriado relacionado a morte, é tema para uma das épocas mais festivas no Japão. Em diversas cidades do país, são celebrados os “matsuris”, e em muitos deles acontecem apresentações de danças típicas.

Aqui em Kisarazu, onde moro, não foi muito diferente. Teve uma noite de segunda feira em que as ruas próximas da estação central ficaram tomadas por milhares de pessoas que foram conferir as apresentações de dança e também se deliciar com as guloseimas típicas que eram vendidas nas barracas espalhadas por lá.

A diferença ficou por conta do estilo de dança apresentado, enquanto muitas festas apresentam o Obon Odori (dança especial para a época), o pessoal daqui da cidade tem o Yasai Mosai, uma coreografia bem simples que qualquer um pode fazer. Aliás, é esse um dos propósitos da festa: a inclusão de toda a sociedade local. Quem participou da dança foram grupos dos mais diversos tipos, de times de beisebol a associações comerciais, escolas, etc. O resultado disso foi que vi centenas de jovens, crianças, idosos, mulheres com trajes típicos, homens fantasiados, todos cantando e dançando com a mesma alegria pelas ruas.


Matsuri

Imagem: Alexandre Sakai


Mas a festa parou por aí. Na noite seguinte teve o Hanabi (show de fogos de artifícios). Dessa vez, o palco foi o porto que fica a algumas quadras da estação, ou melhor, o céu acima do porto. Nem a garoa fina que caía no dia foi capaz de espantar o público. Muitas mulheres aproveitavam a ocasião para vestir o Yukata (kimono de verão).

As barracas de comida também marcaram presença. Muito takoyaki, kakigori, yakitori, okonomiyaki, tinha até algumas barracas de kebab, que aliás, faz muito sucesso por aqui.

Foi quase uma hora de fogos de artifício. Tudo muito bonito e impressionante. O público admirado tentava captar as imagens em seus celulares. Não consegui ficar lá até o final pois tinha aula marcada no dia. Mas fui acompanhando o resto pelo caminho de volta pra casa. Os fogos iam tão alto que dava pra ver a quilômetros. Cruzei com diversas pessoas que preferiram apreciar o show à distância, muitos da porta da própria casa. Alguns tinham até preparado mesas com comes e bebes na calçada.


Matsuri

Imagem: Alexandre Sakai


O período das festas por aqui está acabando e com ele o verão e seus dias quentes e úmidos. Mais algumas semanas e chega o outono. Um clima mais ameno, uma paisagem bem diferente mas, provavelmente, com mais alguns feriados pela frente.


Matsuri

Imagem: Alexandre Sakai


Compartilhe


Comentários