O início de um novo ciclo no Japão

2 de Maio de 2017

Por: Alexandre Sakai
(Instagram @alesakai)


Flor de Cerejeira, Sakura

Imagem: Alexandre Sakai

A chegada da primavera no Japão é um marco em diversos sentidos. Ela simboliza o início e o fim de diversos ciclos. As empresas costumam fechar seus balanços anuais, assim como os estudantes celebram formaturas e o início do ano letivo. O inverno, que pode ser bem rigoroso no país, dá lugar a temperaturas mais amenas e as pessoas começam a sair mais de suas casas. Paralelamente a tudo isso, a natureza vai cumprindo sua função e uma verdadeira transformação começa a acontecer com o ambiente em nossa volta. E as cerejeiras, que passaram os últimos meses sem nenhuma folha em seus galhos, começam a apresentar centenas de pequenos botões que em poucos dias dão lugar a flores em diversas tonalidades de rosa. Flores que são as grandes estrelas da estação mas que possuem um espetáculo muito curto para ser apreciado.


Flor de Cerejeira, Sakura

As cerejeiras no auge da florada. Imagem: Alexandre Sakai

Já faz algumas centenas de anos que o ritual é sempre o mesmo no Japão. Com o florescimento das sakuras, pessoas de todas as idades transformam os parques e praças espalhados pelo país em palcos para praticar o Hanami, o ato de apreciar as flores. Apesar já ter vindo ao Japão outras vezes, esta é a primeira vez que tive oportunidade de acompanhar todo o processo e pude conferir de perto todo esse alvoroço em torno da flor que toma conta do país nesta época do ano. Primeiro o noticiário surge com as previsões para o início do florescimento, que pode acontecer entre fevereiro e abril. Logo em seguida, produtos temáticos começam a surgir. Até mesmo empresas estrangeiras como Mc Donalds e Starbucks lançam produtos sazonais com sabor Sakura.


Flor de Cerejeira, Sakura

O espetáculo atrai muitos turistas. Imagem: Alexandre Sakai


Aí, a partir do momento que elas começam a florescer tudo parece acontecer de forma muito rápida. Este ano elas chegaram um pouco mais tarde que o normal, no início de abril. Fui até o Parque Ueno em Tóquio no dia 9 e já deu pra perceber que apesar das árvores estarem carregadas, muitas flores já haviam caído. No final de semana seguinte, as pétalas rosas das árvores que vi já começaram a dar lugar para a folhagem verde. Ueno estava lotado apesar do tempo chuvoso. Famílias, grupos de amigos, turistas das mais diversas nacionalidades, todos aproveitavam o momento para tirar muitas fotos e apreciar a beleza daquelas flores que em poucos dias já não estariam mais ali. E como elas são impressionantes. É verdade que o piquenique, que sempre costuma acompanhar o hanami, foi prejudicado, mas o contraste dos guarda-chuvas coloridos com o mar de pétalas rosas que cobriam os visitantes deixou o cenário ainda mais interessante.


Flor de Cerejeira, Sakura

Turistas tirando fotos das cerejeiras no Parque Ueno. Imagem: Alexandre Sakai

Dizem que o simbolismo por trás do hanami é justamente o de apreciar a beleza efêmera das flores que possuem um ciclo de vida muito curto, da mesma forma que devemos aproveitar cada momento e cada ciclo que se abre e fecha ao longo de nossas vidas. Ele é reflexo da filosofia budista que está impregnado no modo de vida da sociedade japonesa, e prega a impermanência e o desapego. Pois todo final é também um recomeço. Ano que vem as sakuras estarão de volta. Ninguém sabe exatamente quando ou se elas estarão tão ou mais bonitas que este ano. A única certeza é que os parques japoneses continuarão lotados de visitantes querendo conferir a beleza das cerejeiras. E espero que eu esteja entre eles novamente.


Compartilhe


Comentários